Christian Anwandter e comentários

Em princípio, cada dia não tem nenhum fins literários. É mais perto da "hipnose", "Psicologia" e "auto-ajuda". No entanto, esta distinção entre o literário e o terapêutico não está muito clara. Parece-me que entre uma e outra categoria não há limites perfeitamente delimitados, e acima de tudo, no caso do livro hoje está sendo apresentado ao público. Então, eu gostaria de jogar um pouco distinções que geralmente são aplicadas entre o literário e o terapêutico e falam sobre um dia todos os dias do ponto de vista literário. Além disso, a única coisa que poderia falar com eles, desde que meu conhecimento de hipnose ou hipnoterapia são muito limitadas… é No entanto, a abordagem literária parece-me que você pode, em sua própria maneira, ajudando-na entender que este livro "hipnótica", como quando foram chamados, prop ôs. Para fazê-lo, seria importante compartilhar com vocês um pouco de informação. Como você pode ver… Ver artículo

Christian Anwandter and reviews

In principle, each day has no literary purposes. Is it closer to the "hypnosis", "Psychology" and "self-help". However, this distinction between the literary and the therapeutic is not very clear. It seems to me that between one and another category there is no limits perfectly delimited, and above all in the case of the book today is being presented to the public. Then, I would like to throw a little distinctions that are usually applied between the literary and the therapeutic, and talk about a day every day from a literary point of view. The only thing which could talk to them, since my knowledge of hypnosis or Hypnotherapy are very limited. is, moreover, However, the literary approach seems to me that you can, in their own way, helping us understand what this "hypnotic" book, as once were called, proposed. To carry this out, it would be important to share… Ver artículo

Christian Anwandter y sus comentários

En principio, Un día cada día no tiene fines literarios. Se acerca más a la “hipnosis”, a la “psicología” y a la “auto-ayuda”. Sin embargo, esta distinción entre lo literario y lo terapéutico no queda muy clara. Me parece que entre una y otra categoría no hay límites perfectamente delimitados, y sobre todo en el caso del libro que hoy día está siendo presentado al público. Quisiera, entonces, deshacer un poco las distinciones que suelen aplicarse entre lo literario y lo terapéutico, y hablar sobre Un día cada día desde un punto de vista literario. Es, por lo demás, lo único sobre lo cual podría hablarles, dado a que mis conocimientos sobre la hipnosis o la hipnoterapia son muy limitados. Sin embargo, el enfoque literario me parece que puede, a su manera, ayudarnos a entender lo que este libro de “cuentos hipnóticos”, como alguna vez fueron denominados, se propone. Para… Ver artículo

Silvia Quiroga d e seus comentários sobre o livro

Quando Paul pediu-me para comentar sobre seu livro, pedir-lhe "em qualidade de que?", e quando Paul disse-me "em sua capacidade como psicólogo" me assustei, porque eu acredito que eu sou um bom psicólogo tradicional pequeno e acho que com a experiência e cada vez estou muitos de tudo e menos Turismólogo-Turismólogo. Mas já tinha dito que ele iria fazê-lo, e acima de tudo, eu queria ler e comentar sobre suas histórias; Ele tinha uma enorme curiosidade de conhecer uma outra faceta de isto ser múltiplo é Paul: engenheiro, astrofísico, PNLero (que é onde conhecemos ele e Janet, entre outros com quem partilhamos a PNL), empresário, músico, sofá e trabalhador de sonho, terapeuta e terapeuta! muitos dos meus parentes mais amigos mais próximos e queridos. Bem, a responsabilidade me para pensar, como ele estava lendo contos, "Eu tenho que discutir isso como um psicólogo," (como se você pudesse separar a psicóloga… Ver artículo

Silvia Quiroga D. and his comments about the book

When Paul asked me to comment on your book, ask you "in quality of that?" and when Paul told me "in your capacity as psychologist" I got scared, because I believe that I am a good little traditional psychologist and think that with experience and each time am many of everything and less psicologa-psicologa. But had already said that it would do so and above all, I wanted to read and comment on their stories; He had a tremendous curiosity to know another facet of this be multiple is Paul: engineer, astrophysicist, PNLero (that's where we have known him and Janet, among others with whom we share the NLP), entrepreneur, musician, couch and dream worker, therapist, and therapist! many of my relatives more nearest and dearest friends. Well, responsibility me towards thinking, as he was reading tales, "I have to discuss this as a psychologist," (as if you could separate… Ver artículo

Silvia Quiroga D. y sus comentários sobre el libro

Cuando Paul me pidió que comentara su libro, le pregunte “¿En calidad de que?” y cuando Paul me dijo “en tu calidad de psicóloga” me asusté, porque considero que soy una psicóloga bien poco tradicional y creo que con la experiencia y el tiempo cada vez mas soy muchas de todo y menos psicóloga-psicóloga. Pero ya le había dicho que lo haría y sobre todo, quería leer y comentar sus cuentos; tenía una tremenda curiosidad por conocer otra faceta mas de este ser múltiple que es Paul: Ingeniero, astrofísico, PNLero (ahí es donde nos hemos conocido con él y Janet, entre otros con los que compartimos la PNL), empresario, músico, couch, trabajador de sueños, terapeuta, ¡Y que terapeuta! de muchos de mis parientes mas cercanos y amigos mas queridos. Bien, la responsabilidad me hacia pensar, mientras iba leyendo los cuentos, “tengo que comentar esto como psicóloga”, (como si se pudiera… Ver artículo

Comunicado de imprensa

Em 3 de agosto. realizado o lançamento do livro "um dia cada dia ou próxima estação" Paul Anwandter, publicado pelo autor do Editores.El de infa ntaria leve é um especialista em hipnose clínica. Através de "um dia todos os dias ou na próxima estação", que visa influenciar a maneira de ver o mundo para o leitor, uma vez que pode acessar inconscientemente através da leitura de uma série de histórias, experiências e memórias do passado que gerou a eles, comportamentos, crenças, hábitos ou comp romissos. Nas palavras do próprio autor: "este livro usa uma linguagem que tem sua origem no terapeuta Milton Ericksson, que usaram muito as analogias e metáforas para ativar experiências inconscientes em pessoas. "Através do trabalho que desenvolveu este psiquiatra, verificou-se que era mais fácil para uma pessoa de aprender através de uma história ou uma metáfora, com uma instrução direta, dizendo que fazer isso ou o… Ver artículo