Seria o verdadeiro Steppenwolf?

De acordo com H. Hesse não existe uma realidade exceto pelo fato que está dentro de nós; por esta razão, muitas pessoas vivem uma vida irreal. Pegue a imagem existente como realidade e não permita que o mundo interior deles é seguro por si só. É interessante rever a ideia de Hesse como hoje nós pode se perguntar o que acontece quando algo está fora já não é mais e está na nossa mente?. Como vimos algo que está fora, a menos que você está em? Se antes era "irreal" vai acontecer ser "real"? É irreal o que estou fazendo para você? você acha q ue Hesse me responder essas perguntas? B em, outra esperança, eu não tenho…

Would the Steppenwolf real?

According to H. Hesse does not exist a reality except that which is inside of us; for this reason, many people live an unreal life. Take out the existing image as reality and do not allow the inner world of them is secure by itself. It i s interesting to review the idea of Hesse as today we might wonder what happens when something is outside no longer is it more and happens to be in our mind?. How w e could see something that is out, unless you are in? If before it was "unreal" will happen to be "real"? Is unreal what I'm doing for you? do y ou think that Hesse answer me these quest ions? Well, another hope I have no…

¿Sería real el lobo estepario ?

De acuerdo a H. Hesse no existe una realidad excepto aquella que está adentro de nosotros; por eso, tantas personas vivirían una vida irreal. Toman la imagen existente afuera como realidad y no permiten que el mundo interno de ellos se afirme por sí mismo. Es interesante revisar la idea de Hesse ya que hoy día podríamos preguntarnos ¿qué ocurre cuando algo que está afuera ya no lo está más y pasa a estar adentro de nuestra mente?. ¿Cómo podríamos ver algo que está fuera, sin que esté adentro? ¿Si antes era “irreal” pasaría a ser “real”? ¿Será irreal lo que estoy haciendo para ustedes? ¿Creen que Hesse me responda estas preguntas? Bueno, no me queda otra que esperar …

Borges and the gifts

In some situations we receive something from the right, from the left. If we use a second perceptual position, i.e. we put ourselves as the 'other', takes place a curious thing for us, as the right becomes left and left right. Then no t know that it is right or left, left or right. Neither has much im portance… What if you import is to have received this cute "hipno-poem" by Jorge Luis Borges, which gently Georgette Sarras.otro poem of the DonesGracia s sent me I want to gi ve to the effects and the causasPor divinoLaberinto the diversity of the criaturasQue form this singular universe, by reason, which does not cease to Sonarcon a map of the maze, down the face of Elena and the perseverance of Ulysses Love that lets us see the otrosComo see the divinity, by firm diamond and loose water, by algebra, Palace of precise… Ver artículo

Borges e os presentes

Em algumas situações nós recebemos alguma coisa da direita, do lado esquerdo. Se usarmos uma segunda posição perceptiva, ou seja, colocamo-nos como o 'outro', ocorre uma coisa curiosa para nós, como a direita se torna esquerda e esquerda direita. Então não sei o que é direita ou esquerda, esquerda ou di reita. Também não tem muita impo rtância… E se você se importar é ter recebido este "psicoativos-poema bonito" de Borges, que gentilmente Georgette Sa rras.otro poema do Don esGracias me mandou que eu quero dar para os efeitos e a divinoLaberinto de causasPor a diversidade da forma criaturasQue este universo singular, pela razão, que não cessa de Sonarcon um mapa do labirinto, o rosto de Elena e a perseverança de Ulisses Amor que nos permite ver o otrosComo ver a divindade, pelo firme diamante e solta água, pela álgebra, Palácio de precisos cristais, moedas de Silesio Angel místicas, por… Ver artículo

Borges y los dones

En algunas situaciones recibimos algo desde la derecha en otras, desde la izquierda. Si usamos una segunda posición perceptual, o sea nos ponemos como el “otro”, ocurre algo curioso para nosotros, pues la derecha pasa a ser izquierda y la izquierda derecha. Entonces ya no se sabe que es derecha o izquierda o, izquierda derecha. Tampoco tiene mucha importancia… Lo que si importa es haber recibido este lindo “hipno-poema” de Jorge Luis Borges, que gentilmente me lo envió Georgette Sarrás. Otro Poema De Los Dones Gracias quiero dar al divinoLaberinto de los efectos y de las causasPor la diversidad de las criaturasQue forman este singular universo,Por la razón, que no cesará de soñarCon un plano del laberinto,Por el rostro de Elena y la perseverancia de Ulises,Por el amor que nos deja ver a los otrosComo los ve la divinidad,Por el firme diamante y el agua suelta,Por el álgebra, palacio de… Ver artículo

"Object – sign – Interpretant" = to biosemiotica

The biosemiotica is the study of the processes with signs or semiotic of living systems. It includes both a theoretical description of the semiotic processes in living nature, and also a semiotic general view of life, or the natural history of the signs (Hoffmeyer). It is a set of thoughts that try to verify the limits and adjustments in the use of a human language rich in semiotic terms in the study of a biological system real, self-contained, not metaphorical. It tries to , in principle, consider the spontaneous development, with the passing of time, semiotic systems increasingly more complex, within the evolutionary mechanisms (with self-organization and natural selection) as components of these me chanisms. Relations based on signs are in genetics, in the development of a given organism, in their behavior and in their cognitive ability.